Tributo Solidário do TJSP une amor e solidariedade

Campanha distribui doações a entidades que abrigam idosos.

  O inverno sempre é uma estação preocupante para a parte da população que vive em situação de vulnerabilidade social, notadamente agravada pela pandemia. Há um grupo ainda mais vulnerável: os idosos. Lares de idosos têm enfrentado um grande desafio durante a crise sanitária, tentando impedir o contágio do coronavírus entre seus ocupantes, que fazem parte do grupo de risco para a doença. Sempre precisam de suprimentos como máscaras, luvas, álcool em gel e outros, para cumprir as medidas preventivas e de contenção da Covid-19.
Foi para esse grupo de pessoas que o Tribunal de Justiça de São Paulo voltou sua atenção neste ano. O Tributo Solidário e a Campanha da Família Forense – Inverno 2021, iniciativas da Corte paulista que ocorreram, respectivamente, em 29 de junho e de 12 de junho a 11 de julho, obtiveram êxito graças ao comprometimento e solidariedade dos integrantes do Poder Judiciário.
O Tributo Solidário, evento de 30 minutos, com transmissão pelo canal do TJSP no YouTube, foi um momento em que a arte, mesclada com a saudade dos magistrados e servidores que faleceram em 2020 e primeiro semestre de 2021, uniu a família forense na solidariedade com os que necessitam. Com a participação da desembargadora pianista Maria Cristina Zucchi e da Juss Band, formada por Cláudia Bondioli e Aldo Scaglione (servidores), Iberê Dias e Josué Pimentel (magistrados) e a participação especial de Márcio Dias (no teclado), o presidente do TJSP, desembargador Geraldo Francisco Pinheiro Franco, falou da falta que essas pessoas fazem no cotidiano profissional e familiar. Ao término, os servidores Cláudia Bondioli e Aldo Scaglione, representando todos os magistrados e servidores do Poder Judiciário paulista, soltaram, no céu do marco zero da cidade de São Paulo, a Praça da Sé, balões com os dizeres: “Gratidão do TJSP”.

Prestação de contas – Na Campanha da Família Forense – Inverno 2021 o TJSP arrecadou recursos para adquirir suprimentos e doá-los para lares de idosos. As colaborações ocorreram por depósito em conta corrente, disponibilizada pela Associação Paulista de Magistrados (Apamagis) e criada especificamente para essa finalidade.
Com essa união de amor e solidariedade, a campanha arrecadou R$ 63.554,23, montante destinado integralmente para compra de itens previamente estipulados pelos lares de idosos beneficiados. Máscaras, luvas, álcool em gel, roupas de cama, toalhas, agasalhos, fraldas geriátricas e itens de higiene pessoal em geral foram adquiridos e distribuídos entre cinco instituições na Capital paulista – duas da Prefeitura de São Paulo e três filantrópicas, beneficiando 414 idosos e idosas. São elas: Centro de Acolhida Especial para Idosos (CAEI) Morada Nova Luz; CAEI Sítio das Alamedas; Associação Pró-Excepcionais Kodomo No Sono; Residencial Geriátrico Rosa; e Casa dos Velhinhos de Ondina Lobo.

 

Itens adquiridos para doação

 

Total

 

Estimativa/ Gastos (R$)

 

Jogos de cama

271 unidades

14.114,40

Toalhas de banho

251 unidades

4.518,00

kits de xampu e condicionador

254 unidades

2.537,46

Escovas de dente

360 unidades

867,60

Creme dental

360 unidades

579,60

Barbeadores descartáveis

264 kits

1.190,64

Loção hidratante

25 unidades

196,50

Meias M e G

1056 pares

4.035,21

Máscaras descartáveis

28 unidades

532,00

Luvas de látex com pó M e G

8 caixas

600,00

Fraldas geriátricas G

50 pacotes

3.080,00

Fraldas geriátricas GG

17 pacotes

1.047,20

Álcool em gel 70%

5 galões

249,50

Álcool líquido 70%

6 galões

173,40

Cremes para assadura

44 unidades

303,33

Lenços umedecidos

12 pacotes

216,72

Colchas (branca de piquet)

60 unidades

3.618,00

Conjuntos de moletom

351 unidades

24.969,87

Luvas de lã

151 pares

724,80

Total de despesas

63.554,23

Valor Arrecadado

63.554,23

 

“Principalmente nesse período de crise sanitária que a humanidade atravessa, existe grande necessidade de material de proteção individual como o que recebemos aqui e, sem dúvida, é uma importante doação para nossos assistidos”, afirmou Sérgio Ocimoto Oda, presidente da Associação Pró-Excepcionais Kodomo No Sono, entidade filantrópica que assiste, há mais de 60 anos, pessoas com deficiência intelectual (incluindo idosos). A entidade promove atividades terapêuticas com os internos, com destaque para a oficina profissionalizante de cerâmica, cujos produtos são reconhecidos e valorizados no mercado.
Para Julita Coqueiro, gerente de serviço do Centro de Acolhida Especial para Idosos (CAEI) Morada Nova Luz, os itens doados serão fundamentais na preservação da saúde dos residentes durante o período de pandemia. “Muitos deles chegam aqui com a roupa do corpo, então a doação desses itens vai ajudar muito os nossos idosos, além da roupa de cama e toalhas de banho, cuja troca é frequente, principalmente na pandemia”, disse. Os CAEI são mantidos pela Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social, e promove atendimento integral a idosos (a partir de 60 anos) em situação de rua, oferecendo abrigo, garantindo acolhimento digno e resgate da cidadania. O Morada Nova Luz atende, ao todo, 200 idosos, distribuídos entre o prédio sede, na região da Luz, e os hotéis sociais disponibilizados pela municipalidade. O CAEI Sítio das Alamedas, no bairro do Canindé, zona norte da cidade, comporta 60 idosos. Os Centros de Acolhida contam com equipe composta por psicólogo, assistente social, cozinheiros, nutricionista e orientadores que promovem atividades socioeducativas com os assistidos.
Outra instituição que atende idosos nessas condições é a Casa dos Velhinhos de Ondina Lobo, na zona sul de São Paulo. Mas, diferente dos CAEIs municipais, a Casa é um abrigo de longa permanência. Trata-se de uma entidade filantrópica, fundada há 70 anos e mantida por meio de doações regulares de pessoas físicas e jurídicas e parcerias com hospitais, clínicas e laboratórios. Atualmente, o Ondina Lobo atende 60 moradores idosos. “A doação do Tribunal de Justiça foi muito importante para a manutenção da casa. A parte dos enxovais, as luvas de procedimento, que estão muito caras atualmente, e os agasalhos, neste período de frio, vão oferecer um conforto para todos os moradores desta casa”, declarou Marianna Yamaguchi, gestora da entidade.
Também na zona sul, o Residencial Geriátrico Rosa é uma instituição de longa permanência que, atualmente, abriga 30 idosos. Mantida principalmente pelos familiares dos internos, a instituição conta com enfermeiro, médico, psicólogo e assistente social, além de cozinheira e nutricionista. “Na pandemia, estamos passando por uma situação difícil e esta doação vai ajudar muito nos cuidados dos assistidos pela casa”, disse a coordenadora da entidade, Macione Maria da Silva.

Como ajudar
Todas as instituições são unânimes ao relatar as dificuldades para manter a assistência aos idosos e, especialmente, em adquirir produtos de higiene pessoal necessários ao combate do coronavírus. Para conhecer melhor o trabalho dessas entidades e efetuar doações, basta entrar em contato por meio dos seguintes canais:

Centro de Acolhida Especial para Idosos (CAEI) Morada Nova Luz
Rua Helvétia, 234 – Campos Elíseos
Tel.: (11) 3331-3422

  Centro de Acolhida Especial para Idosos (CAEI) Sítio das Alamedas
Rua Comendador Nestor Pereira, 75-A – Canindé
Tel.: (11) 3227-4515

  Associação Pró-Excepcionais Kodomo No Sono
Rua Professor Hasegawa, 1198 – Itaquera
Tel.: (11) 2521-6437
E-mail: kodomo@kodomonosono.org.br
Site: www.kodomonosono.org.br

  Residencial Geriátrico Rosa
R. Dr. Ubaldo Franco Caiube, 280 – Vila São Paulo
Tel.: (11) 5011- 0935
E-mail: residencialrosa1@gmail.com

  Casa dos Velhinhos de Ondina Lobo
R. Regina Badra, 471 – Jardim dos Estados
Tel.: (11) 5686-4322 / (11) 5524-4929
Site: www.ondinalobo.org.br

  Não são números... São almas!
Como não é possível dar o destaque merecido a todas as pessoas que integravam o Poder Judiciário e que partiram nesse período de pandemia, o TJSP o fez por meio do Tributo Solidário, em apresentação musical no dia 29 de junho, com a participação de magistrados e servidores. Em um universo de mais de 70 mil pessoas, aposentadas e da ativa, 969 faleceram de causas variadas (veja aqui) e serão representadas neste texto por:

  Desembargador Antonio Carlos Malheiros
Faleceu em 17 de março de 2021. “Uma alma nobre, sempre preocupada com o próximo”, retratou o texto que anunciou a sua partida. “O Judiciário perde um magistrado ímpar, que imprimia em suas falas e decisões o carinho que tinha pelos seres humanos, sem se descurar de suas convicções jurídicas. O jurisdicionado perde um defensor de seus direitos. Os colegas de magistratura perdem um gentleman e um amigo. Os servidores do Poder Judiciário perdem o seu mais fervoroso defensor, presente há muitos anos em todas as lutas e reivindicações. Os amigos perdem o “Malha” que deixará um vazio insubstituível. As crianças hospitalizadas perdem o palhaço “Totó”, contador de muitas e muitas histórias.  A família fica sem o seu protetor, sua base e seu esteio. A humanidade deixa de contar com um de seus mais sensíveis e adoráveis seres humanos. Ganha a outra dimensão que recebe uma pessoa que quem conheceu admirou; quem não teve essa oportunidade, deixou de aprender lições de vida. Vão-se as boas ações por ele realizadas e fica o exemplo a ser seguido e imitado.” Tinha 70 anos.

  Magistrado Paulo Marcos Vieira
Faleceu em 12 de maio de 2021. Juiz diretor do fórum e titular da 2ª Vara Cível da Comarca de São José do Rio Preto. Ingressou na Magistratura em 1988. Judiciou na Comarca de Mococa por 15 anos e em Cajuru por outros dois. Em sua trajetória no Poder Judiciário colecionou amigos e admiradores, não só pelo seu elevado conhecimento jurídico, como também pela forma afável com que a todos tratava. Também angariou o respeito dos Poderes Executivo e Legislativo e de toda a população rio-pretense. Em 5 de julho, o prefeito Edinho Araújo sancionou e promulgou a Lei nº 13.747, aprovada pela Câmara de São José do Rio Preto, com o seguinte teor: “Artigo 1º: Passa a denominar-se “Paulo Marcos Vieira” a Avenida Projetada 01 do Residencial da Fraternidade 2”. Tinha 67 anos.  

  Servidora Soraya Alves
(Comarca de Mairinque) Faleceu em 12 de julho de 2021. Ingressou no TJSP em 1984 e era lotada no 1º Ofício Judicial da Comarca de Mairinque. Trabalhou na 1ª Vara desde a sua instalação. Nas palavras da juíza da 1ª Vara e também diretora do fórum, Camila Mota Giorgetti, todos ficaram – e ainda estão – abalados no Judiciário local. “Era uma pessoa muito querida, que deixa saudades.” Tinha 57 anos.

  Servidor Gerdy Cassius Gimenez Affonso
(Comarca de Panorama) Faleceu em 19 de abril de 2021. Ingressou no TJSP em 2011 no 2º Ofício Criminal da Comarca de Santos. Atualmente era chefe do Distribuidor da Comarca de Panorama. O juiz da 2ª Vara e diretor do fórum, Tiago Henrique Grigorini, falou em nome de todos os integrantes da comarca. “Foi uma perda inestimável. O Gerdy era unanimidade: excelente como pessoa, como servidor e como parceiro de trabalho. Uma tragédia.” Deixou esposa e dois filhos. Tinha 57 anos.

  Servidora Maria Aparecida de Jesus
(Comarca de São Vicente) – Faleceu em 11 de maio de 2021. Ingressou no TJSP em 1987 e era oficial de Justiça aposentada desde 2014. Trabalhou na Vara de Execuções Criminais de São Vicente e depois na Seção Administrativa de Distribuição de Mandados da comarca. Era viúva e deixou duas filhas e dois netos. Tinha 67 anos.

N.R.: texto originalmente publicado no DJE de 7/7/21.

 

Comunicação Social TJSP – DM e RS (texto) / KS e PS (fotos) / JT (diagramação e arte)

imprensatj@tjsp.jus.br

 

Siga o TJSP nas redes sociais:

www.facebook.com/tjspoficial

www.twitter.com/tjspoficial

www.youtube.com/tjspoficial

www.flickr.com/tjsp_oficial
www.instagram.com/tjspoficial 

COMUNICAÇÃO SOCIAL

NotíciasTJSP

Cadastre-se e receba notícias do TJSP por e-mail



O Tribunal de Justiça de São Paulo utiliza cookies, armazenados apenas em caráter temporário, a fim de obter estatísticas para aprimorar a experiência do usuário. A navegação no portal implica concordância com esse procedimento, em linha com a Política de Privacidade e Proteção de Dados Pessoais do TJSP